Notícias

Guia de Viagem: Peru

3 de março de 2017

Por Vyvianni Pedrosa 

Peru

Hoje resolvi escrever sobre um destino que poucos pensam para lua de mel, ou comemorações românticas, mas foi um destino que me encantou tanto que eu preciso compartilhar com vocês. O Peru tem uma energia incrível, uma culinária deliciosa, hotéis de luxo maravilhosos, um povo muito acolhedor, muita história e paisagens estonteantes. Muitos ingredientes para uma viagem perfeita se bem planejada.

Lima

Lima é a porta de entrada desse país especial.  Apesar de ficar no litoral, é uma cidade onde pouco chove mesmo com a alta umidade. A temperatura média anual é de 20 graus. O trânsito de Lima em um primeiro momento assusta, pois é um caos, e os engarrafamentos principalmente nos horários de pico, são terríveis. Mas isso não tira a beleza e o charme dessa cidade tão cheia de história, de uma culinária imbatível, lindas falésias e um pôr do sol de tirar o fôlego. Não deixe de caminhar pela Orla de Barranco e Miraflores, passando pelo parque do Amor. Um vôo de parapente pela orla também pode ser uma experiência inesquecível.


Miraflores – Lima

Hospedagem:
Para uma viagem perfeita, principalmente uma viagem romântica, acho importante a atenção e o carinho na hora de escolher a hospedagem. Se o hotel e os serviços são bons, se a localização é legal, a primeira impressão do destino é muito positiva.
– Hotel B : Localizado no bairro Barranco, o bairro boêmio de Lima, repleto de bares, restaurantes e galerias de arte. O hotel é um charmoso casarão com apenas 17 acomodações e faz parte da seleta coleção dos hotéis Relais & Châteaux. Com um serviço personalizado, obras de arte e um restaurante maravilhoso o Hotel B é uma opção perfeita para Lima;
– Belmond Miraflores Park: situado em um dos bairros mais exclusivos de Lima, com uma localização do seu jardim ao lado do Oceano Pacífico, a piscina da cobertura tem uma vista sensacional! O Restaurante Observatory também tem uma linda vista que complementa uma refeição romântica. O Restaurante Tragaluz, também no hotel, é um dos lugares para ver e ser visto em Lima;


Hotel B

Restaurantes:
São tantos restaurantes maravilhosos em Lima, que talvez eu esqueça de colocar alguns , mas dá pra ter uma ideia do quão incrível é a gastronomia nessa cidade.
– Maido: tive o prazer de conhecer o Maido, que tem um clima super descontraído, serviço de qualidade, deliciosos drinks e gastronomia oriental. Nós optamos pelo menu degustação de 12 pratos! Foi um exagero. Acho que hoje eu teria optado por um menu degustação mais curto ou mesmo por um a la carte, mas sem dúvida vale a visita. Necessário reservar;
– Central: super disputado, necessário reservar com bastante antecedência. Uma experiência gastronômica peruana, que explora as cores, insumos, histórias e cenários desse país maravilhoso;
– Astrid & Gastón: também necessário reserva prévia. Gastronomia peruana de excelência;
– La Mar: ótima opção casual para o almoço. Gastronomia peruana;
– Rosa Náutica: talvez um dos mais românticos restaurantes de Lima. Fica localizado em um píer sobre o mar. Necessário reserva prévia. Cozinha internacional especializada em peixes e frutos do mar;
– Restaurante Huaca Pucllana: é um restaurante localizado dentro de um sítio arqueológico de mesmo nome no bairro de Miraflores. É uma bela experiência cultural e gastronômica;
– Restaurante & Bar Malabar: é um dos poucos restaurantes em Lima que trabalham os ingredientes amazônicos. Os drinks também são bem criativos, além do delicioso tradicional Pisco Punch. Fica localizado em uma rua calma em San Isidro;
– Rafael: O primeiro restaurante de Rafael Osterling, situado numa casa vermelha e aconchegante dos anos 1920, apresenta um menu diverso que inclui pizzas, risotos, ceviches, assados entre outros pratos peruanos com influência mediterrânea.
– Isolina: Intimista e informal, o restaurante foi nomeado em homenagem à mãe de um dos donos e sua saborosa comida caseira tradicional do Peru. E são estes pratos criollos, geralmente presentes nas mesas das casas tradicionais peruanas, que compõe o menu do restaurante, simples e delicioso.


Maido


Maido


La Mar – Lima


Huaca Pucllana


Cala Restaurant & Lounge


Marriott El Convento

Museus:
Um dos passeios interessantes que se pode fazer em Lima é conhecer seus museus. A história e cultura do Peru são muito valorizadas e cuidadas por seus habitantes e, nos museus, é possível entrar em contato com as peças que contam sobre eles:
– Museu Larco: O museu conta com a rica coleção de Rafael Larco Herrera, que conta a história pré-Colombiana do Peru desde 8000 a.C., época Pré-Cerâmica, até a 1532 d.C., com a conquista do território pelos espanhóis. São peças têxteis, cerâmicas e outras que resultam numa bela coleção arqueológica. O edifício do século XVIII rodeado por jardins, é uma atração à parte;
– Museu Pedro de Osma: Pedro de Osma Gildemeister passou boa parte de sua vida colecionando objetos do vice-reinado do Peru, entre os séculos XVI e XVIII, como pinturas, esculturas, retábulos, pratas, entalhes de pedra e peças das áreas com tradições andinas – como Cusco e Ayacucho;
– Museu de Arte de Lima: O prédio neorrenascentista, construído entre 180 e 1871, foi inicialmente o Patronato de las Artes, Ciencias e Industrias. Desde 1955, foi constituindo sua coleção permanente, se tornando a primeira pinacoteca do país e possuindo o maior acervo de criação artística no Peru. Apresenta uma coleção arqueológica, pinturas contando a história da América do Sul e peças produzidas no século XX, além das exposições temporárias;
– Museu Mario Testino: Mario Testino é um fotógrafo limenho, nascido em 1954, ele uma referência no mundo da moda, tendo feito diversas capas para a Vogue, Vanity Fair, GQ, dentre tantos outros trabalhos e fotografias de grandes personalidades. Em 2012, Testino abriu o MATE – Museo Mario Testino, seu museu sem fins lucrativos que tem como objetivo dar visibilidade e promover a arte peruana contemporânea. Além de expor suas excelentes fotografias, exposições temporárias promovem os artistas contemporâneos;
– Museu de Arte Contemporâneo: O museu foi fundado em 2013 com a finalidade de abrigar a produção do Instituto de Arte Contemporáneo – IAC, que desde de 1955 reunia artistas, convergindo em novas vanguardas, estilos e influências na arte peruana e latino-americana. O museu, mais que expor uma coleção de arte moderna e contemporânea, promove espaços de discussão, cursos e eventos que difundem a cultura e a educação.
O MAC, o MATE e o Museo Pedro de Osma estão localizados no bairro Barranco de Lima, conhecido por concentrar a cena artística e vanguardista da cidade. Ali estão presentes, também diversas galerias de arte que valem a pena ser visitadas, como a Lucia de La Puente.
SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS:
– Pachamac;
– Huaca Pucllana.


Museu Mario Testino – Lima


Museu Rafael Larco Herreira

Cusco

Cusco é a porta de entrada para o Vale Sagrado dos Incas. Seu nome no idioma quíchua significa “Umbigo“, não é à toa que muitas pessoas se referem à Cusco como o Umbigo do Mundo. Cusco era o mais importante centro administrativo e cultural do Império Inca. Ainda há alguns poucos monumentos do período Inca que sobreviveram à invasão, destruição e saque , de Francisco Pizarro, o conquistador espanhol. A maioria dos edifícios incas foi arrasada pelos clérigos católicos com o duplo objetivo de destruir a civilização inca e construir novas igrejas cristãs e demais edifícios administrativos dos dominadores, impondo a força uma nova cultura. A maioria dos edifícios construídos após a conquista é de influência espanhola com uma mistura de arquitetura inca.
Cusco fica a uma altitude de 3.360 metros, o que pode causar em algumas pessoas o soroche, ou popularmente conhecido como o mal da altitude. O soroche pode causar dores de cabeça, enjoo, dor no estômago, tontura, falta de ar, aumento da frequência cardíaca, e dificuldade para dormir. Cada pessoa reage de uma forma à altitude, então não tem como prever como seu corpo irá reagir a grandes altitudes até você chegar lá. O soroche é nada mais nada menos que uma tentativa do seu corpo de adaptação a um ambiente com ar rarefeito, portanto com menos oxigênio disponível.
Algumas formas de amenizar o soroche:
– Descanse: essa é a regra primordial. Deixe o dia da chegada em Cusco para atividades leves, para descansar e se adaptar;
-Beba muita água: manter o corpo hidratado é fundamental. Em altitudes elevadas é muito fácil desidratar. Então com isso puxamos o ítem seguinte: evite bebidas alcoólicas porque elas desidratam seu corpo;
– Alimentação leve, evite carne vermelha. Na altitude seu corpo irá fazer a digestão de forma mais lenta;
– Coca. Folha de coca para chá, folha de coca para mascar, balas de coca. Coca é um santo remédio! Ajuda a dar disposição, e não, não tem qualquer efeito alucinógeno;
– Sorojchi Pills: eu e meu grupo começamos a tomar as pílulas de Sorojchi antes mesmo de embarcarmos, e coincidência ou não, mas no meu grupo de 8 pessoas ninguém passou mal algum. No Peru em qualquer farmácia é possível encontrar.

Hospedagem:
– Inkaterra La Casona: fica localizado na tradicional Plaza de Nazarenas, onde está localizada a maior parte dos hotéis top de Cusco. É um hotel boutique exclusivo cheio de charme, e foi o primeiro hotel no Peru a fazer parte do seleto selo Relais & Chateâux. Pra começar a grande porta de entrada do hotel fica sempre fechada e você tem que bater para abrirem. Ao entrar você se depara com uma charmosa sala de estar com lareira onde você é recebida pela recepcionista e faz o seu check in tomando um delicioso chá. Ao redor do pátio principal, estão localizadas as 11 suítes do hotel que possuem lareira, piso aquecido e deliciosos roupões. O atendimento é simplesmente irretocável e o café da manhã delicioso. O Inkaterra La Casona ainda conta com um restaurante maravilhoso, que pode ser reservado onde tivemos uma das melhores experiências gastronômicas de Cusco;
– Belmond Monastério: também localizado na Plaza de Nazarenas de frente para o hotel Inkaterra La Casona. Um suntuoso hotel, construído no lugar de um antigo monastério e monumento nacional de 1592. No pátio central do hotel há um lindo jardim pelo qual é impossível não se apaixonar, e onde você pode tomar seu café da manhã calmamente. O bar do hotel é um lugar lindo, onde você pode tomar um aperitivo no final do dia mesmo que não esteja hospedado no mesmo. No dia em que estivemos lá para tomar um vinho havia uma banda muito bacana tocando. Vale a visita!
– Belmond Palácio Nazarenas: também localizado na Plaza de Nazarenas ao lado do Belmond Monastério. O hotel é um antigo palácio e convento que foi restaurado e hoje é um dos mais exclusivos hotéis da cidade. O hotel possui um spa maravilhoso, piscina descoberta, e ótimos restaurantes. Possui 55 suítes, todas elas equipadas com suprimento extra de oxigênio. Cada suíte possui banheiros peruanos em mármore com piso aquecido e serviço de mordomo 24 horas;
– Marriott El Convento: um hotel surpreendente desde o momento da chegada. Fica no centro de Cusco, muito próximo a Plaza de Armas. A decoração é lindíssima, possui uma piscina interna aquecida, um lindo pátio, e uma cama espetacular! Acho que uma das melhores camas que já dormi. O café da manhã tem uma grande variedade de itens;
– El Mercado: de todos os hotéis que citamos, o El Mercado é o único que não é um hotel de luxo, mas sim um 4 estrelas. Mesmo sendo um 4 estrelas acho ele um charme, muito bem decorado, com café da manhã muito bom e bons serviços. Localizado a 3 quadras da Plaza de Armas, e muito próximo a diversos bares e restaurantes. São apenas 31 acomodações e todo fim de tarde tem música ao vivo ao redor de uma fogueira no pátio principal.


Hotel Inkaterra La Casona (Relais & Chatêaux) – Cusco


Hotel El Mercado – Cusco

Restaurantes:
– Cicciolina: um dos melhores de Cusco sem dúvida! Comida ótima, drinks gostosos e atendimento muito bom também. O menu tem gastronomia peruana, italiana e internacional. Necessário reservar com antecedência;
– Baco: é o irmão mais novo do Cicciolina e tem um clima mais informal. O menu foca em sabores Mediterrâneos utilizando ingredientes locais;
– MAP Café: é o restaurante do Museu de Arte Pré- Colombiana, que fica na Plaza Nazarenas, vizinho a dois dos melhores hotéis de Cusco, o Belmond Monastério, e o Inkaterra La Casona . Lá são servidos clássicos da cozinha peruana;
– Limo: localizado no segundo andar de uma casa típica cusquenha colonial, com uma linda vista privilegiada da Plaza de Armas. O lugar é muito aconchegante, com bom serviço, deliciosos ceviches e uma grande variedade de drinks com pisco;
– Chicha por Gastón Acurio: um bom restaurante do famoso chef Gastón Acurio. Necessário reservar previamente. Você pode escolher degustar um pouco da deliciosa gastronomia peruana, ou optar por uma massa, pizza ou hambúrguer. O cardápio do Chicha é bem eclético;
– Morena Peruvian Kitchen: uma pitada contemporânea para pratos peruanos clássicos.
– La Bodega: um restaurante casual, localizado em uma das casas coloniais que são Patrimônio Nacional no centro histórico de Cusco. Ótimo para almoço e para um brunch especial.
– Papacho´s: o famoso chef Gastón Acurio abriu o Papacho´s que serve deliciosos hambúrgueres gourmet com ingredientes peruanos. O menu também inclui diversos milk-shakes gourmets e coquetéis, cerveja e vinho.


Restaurante Limo – Cusco


Restaurante Limo – Cusco

Onde badalar:
– Museo del Pisco: fica localizado ao lado do hotel Marriott El Convento. Um lugar divertido onde locais e turistas se encontram, com música ao vivo e claro muito pisco;
– Mama Africa: é um local onde muitos turistas se encontram na noite de Cusco. Lá você pode participar de aulas de salsa (duas das minhas amigas foram e se divertiram muito), e curtir também um misto de reggae, música eletrônica e rock;
-Paddy´s Irish Pub: um típico pub irlandês com uma bela vista para a Plaza de Armas e onde você pode desfrutar de uma boa cerveja Guiness;
– La Fabrica Sport Bar: para quem curte sports bar, com TVs onde pode-se assistir partidas de futebol de diversos países. Há também alguns jogos de salão como totó e sinuca;
– Huaringas Bar;
– Deli Pub;
– Bar do hotel Belmond Monasterio: é um lugar sofisticado, com um ótimo atendimento, e no dia que fomos tomar um vinho antes de sairmos para jantar estava tendo música ao vivo. Um lugar muito agradável principalmente para quem tem um gosto mais refinado.

Pontos turísticos:
Antes de começar a enumerar os pontos turísticos de Cusco, quero deixar algo bem claro para vocês. É uma delícia explorar a cidade por conta própria, bater perna pelas praças e ruelas da antiga capital Inca, mas não deixe de contratar serviços com guias. Eu e as minhas amigas fizemos um tour pela cidade das duas formas, e fazer um tour com um bom guia faz toda a diferença! A história peruana é muito rica e vale a pena rodar com alguém que realmente saiba conta-la.
– Plaza de Armas: é a praça principal de Cusco, que possui várias atrações históricas, restaurantes, bares… é como se a cidade existisse em torno da Plaza de Armas;
– Basílica Catedral de Cusco: uma Catedral linda que conta com 3 naves e 12 capelas em seu interior. Fotos são proibidas no interior mas, essas lindas imagens ficarão para sempre gravadas para sempre na memória do visitante;
– Igreja de San Blas: uma das mais antigas de Cusco, datada de 1563. No bairro de San Blas há diversas feirinhas artesanais bem legais, músicos tocando nas ruas, lojinhas pitorescas. É o bairro boêmio de Cusco.
– Templo de Qorikancha ou Templo do Sol: um dos lugares que parcialmente sobreviveram à invasão espanhola;
– Igreja e Convento de Santo Domingo;
– Igreja de La Merced;
– Igreja da Companhia de Jesus;
– Museu Inka;
– Museu de Arte Pré-Colombiana;
– Estátua do Cristo: a estátua em si não é nada demais, ainda mais para nós que temos o Cristo Redentor do Rio de Janeiro, mas tem uma bela vista do alto de Cusco;
– Plaza de Las Nazarenas: a praça onde ficam os hotéis mais sofisticados de Cusco.


Plaza de Armas

Sítios arqueológicos nos arredores de Cusco:
– Sacsayhuaman: um dos mais imponentes complexos arquitetônicos construídos nos tempos dos Incas. É incrível olhar aquelas rochas gigantescase pesadas todas colocadas perfeitamente umas sobre as outras formando uma muralha de um antigo forte. Foi possivelmente uma fortaleza construída para defender o império Inca de invasões;
– Q’engo: significa labirinto em Quéchua. São pedras esculpidas que não puderam ser destruídas pelos espanhóis. A pesar da destruição sofrida por este complexo durante a colônia espanhola, o que pode ser visto no interior do complexo, ainda é impressionante e colossal. Era um local que servia para cultos religiosos, sacrifício de animais, e mumificações ;
– Tambomachay: é um sítio arqueológico que foi destinado ao culto à água e para que o chefe do Império Inca pudesse descansar. É composto por uma série de aquedutos, canais e várias cascatas de água que correm pelas rochas;
– Pukapukara: está localizada no topo da estrada para Pisac, a cerca de 7km de Cusco. Significa Forte Vermelho. Provavelmente foi construído para guardar o templo de Tambomachay;
É possível visitar esses sítios durante um dia de city tour por Cusco. São muito interessantes, lindos e intrigantes.
Por hoje não vou me prolongar mais com essa incrível jornada pelo Peru, mas ainda vou fazer outro post, em breve, para vocês contando mais sobre o Vale Sagrado dos Incas e Machu Picchu.


Sítio Arqueológico de Tambomachay


Sítio Arqueológico Sacsayhuaman


Sítio Arqueológico Sacsayhuaman

Dicas de viagem:
Muitas pessoas me perguntam se é possível fazer bate e volta de Cusco até o Vale Sagrado, e um bate e volta de Cusco até Machu Picchu. E a resposta é sim para ambas as questões. Mas é o ideal? Não acredito que seja. Acho que isso deixa a viagem muito cansativa, e o Vale Sagrado é incrível e tem lindos hotéis românticos que valem a parada. Para chegar até o Machu Picchu de Cusco é necessário uma viagem de carro até Ollantaytambo (Vale Sagrado), que fica a mais ou menos 1 hora e meia de Cusco, depois você tem que pegar um trem do Vale Sagrado até Aguas Calientes que dura cerca de 2 horas, e em Aguas Calientes precisa pegar um ônibus até o topo da montanha onde fica Machu Picchu que dura meia hora. Então com base nessas informações e levando em conta que teria ainda que fazer todo o trajeto de volta, vocês podem avaliar se valeria ou não a pena esse bate e volta.
Sobre a pergunta que frequentemente recebemos se é melhor levar dólar ou a moeda local, o nuevo sol: a minha opinião é que é melhor levar dólar, trocar uma pequena quantia para o nuevo sol no aeroporto, e à medida que for precisando, trocar o dólar pela moeda local em casas de câmbio na cidade.
Cartões de crédito são amplamente aceitos nas grandes cidades, mas ao viajar para o interior, recomenda-se levar dinheiro.
O fuso horário é de 2 horas a menos em relação ao horário de Brasília, e 3 horas durante o período de horário de verão.
Gorjetas: em restaurantes, bares e similares é habitual dar 10% sobre o valor do serviço, pois normalmente não é cobrado na conta. Para guias e motoristas uma forma de demonstrar o agradecimento por um serviço bem prestado é por meio da gorjeta.
Para o Peru é necessário levar o RG ou passaporte. Não é necessário visto. É recomendado portar o certificado internacional de vacinação contra febre amarela. Lembrando que a vacina deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem.

 

*Vyvianni Pedrosa é responsável pela agência Solicite Turismo.

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

Or